Banco BV reforça balanço e registra R$ 221 milhões de lucro líquido no primeiro trimestre de 2020

Com aumento de margem bruta, o BV teve um incremento de 6,0% no total de receitas no comparativo com mesmo período de 2019.


O Banco BV, quinto maior banco privado brasileiro em ativos, encerrou o primeiro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 221 milhões. Mantendo a tendência dos últimos trimestres, a instituição registrou 6,0% de incremento no total de receitas no comparativo com mesmo período de 2019, reflexo da expansão da carteira de crédito e maior rentabilidade dos negócios. Nos últimos 12 meses, a carteira de crédito cresceu 13%, encerrando o 1T20 em R$ 68 bilhões com maior expansão no Varejo. A inadimplência (inad90) total fechou em 4,5%, em estabilidade.

No comparativo com 1T19, o crescimento de 69,3% no custo de crédito reflete as maiores despesas com PDD, além do crescimento da carteira. No período foram realizadas provisões prudenciais de R$ 160 milhões em decorrência da deterioração no ambiente macroeconômico como resultado dos efeitos da pandemia da Covid-19. Os efeitos da pandemia foram parcialmente compensados pelas menores despesas de pessoal e administrativas, que reduziram 11,7% frente ao trimestre anterior.

O modelo de negócios leve e eficiente do BV tem colaborado para melhoria contínua do Índice de Eficiência, que atingiu 31,8% (melhora de 1,1 p.p em comparação com 1T19). Além disso, os principais indicadores financeiros apresentados neste trimestre pelo banco reforçam a solidez do balanço. "O Índice de Basileia foi de 14,3% em março e a liquidez de curto-prazo (LCR) registrou 166%, níveis bem acima dos mínimos regulatórios. As provisões prudenciais, decorrentes dos efeitos da pandemia da Covid-19, se refletiram no índice de cobertura bastante robusto de 206%" , diz Rodrigo Tremante, diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores do banco BV

"Desde o início da pandemia da Covid-19, o BV tomou todas as medidas necessárias para cuidar da saúde e do bem-estar dos nossos colaboradores, clientes e parceiros, além de reforçar nossa responsabilidade social com o país", diz Gabriel Ferreira, CEO do banco BV. "A solidez de nosso balanço combinada à transformação digital e cultural que realizamos nos últimos anos, permitiu que o banco se adaptasse rapidamente e garantisse a continuidade dos nossos negócios".

Entre as medidas implementadas pelo BV está o trabalho remoto para mais de 7 mil pessoas, incluindo colaboradores próprios e terceiros, a ampliação do horário flexível, a fusão de vale alimentação e refeição e a antecipação para o mês de abril da primeira parcela do 13º salário.

O BV aderiu à flexibilização de prazo nas parcelas de pessoas físicas, que podem prorrogar o vencimento dos contratos de crédito vigentes e em dia por 60 dias, além de reduzir em 50% a taxa de juros para o parcelamento da fatura para os clientes de cartão de crédito BV, com aumento do prazo para até 18 meses e isenção da tarifa para pagamento de contas fixas, como água, luz e telefone no cartão.

A instituição também realizou uma doação de R$ 30 milhões e iniciou uma campanha de mobilização para arrecadação de recursos em que a cada R$ 1 real doado na plataforma online bancobv.abraceumacausa.com.br, o banco BV doa a mesma quantia. Além disso, o BV disponibilizou uma linha de crédito a preço de custo de R$ 50 milhões para apoiar empresas nacionais fornecedoras de equipamentos e serviços essenciais no combate à COVID-19. Até o momento, cerca de 200 mil pessoas em todo o Brasil já foram beneficiadas pelas iniciativas do BV, tanto na distribuição de itens de primeira necessidade aos projetos sociais que já mantêm relacionamento com a instituição quanto na disponibilização de recursos para compra de insumos hospitalares.


Matéria: RPMA
Foto: Divulgação
 

Nenhum comentário