Violência e vandalismo marca manifestação anti-democrática de esquerda em São Paulo

Vândalos manifestantes, alguns dos quais de torcida organizada corinthiana, agridem policiais e depredam patrimônio público.


Manifestantes anti-democráticos de esquerda foram as ruas hoje (31), na capital paulista, nas cercanias da Avenida Paulista, protestar contra o Governo Federal, com atos de vandalismo e agressão a Polícia Militar.

Agora a tarde, por volta das 15h, nas proximidades do MASP, o protesto tomou ares de rebelião, onde vândalos, muitos dos quais da torcida organizada Gaviões da Fiel, começaram a depredar o patrimônio público, num ato de rebeldia, em represália a presença de manifestantes pró-governo, nas proximidades da Fiesp. Tal ação gerou necessidade de atuação por parte da Polícia Militar de São Paulo, numa tentativa de conter o avanço do motim, e buscando manter um isolamento de segurança entre os grupos de manifestantes, quando então a situação tornou-se insustentável.


Durante a ação de contenção praticada pela PM, os rebeldes começaram a atacar os policiais, com o uso de pedras e pedaços de pau, que tiveram que reagir com bombas de efeito moral e balas de borracha, visando dispersar a aglomeração e conter o avanço da violência que estava se tornando feroz.

"A Polícia Militar designou mais de 200 policiais dos batalhões territoriais e especializados, como o BAEP, de Choque e do Trânsito para fazer a segurança de participantes e garantir a ordem nos atos iniciados por volta das 11h30 deste domingo (31), na Avenida Paulista. Durante os trabalhos, houve briga generalizada e a PM atuou para impedir o conflito entre os grupos antagonistas", diz nota da PM.

Após a ação militar, parte da manifestação foi desmobilizada, e a situação foi parcialmente controlada.


Matéria: Dimithri Vargas

Nenhum comentário