Fetraf não aceita condições e sede do Incra continua ocupada pelos agricultores

(Agricultura - Agência Brasil)


Brasília - A nova rodada de negociações entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf) terminou hoje (18), mais uma vez, sem acordo. Diante do impasse, não há previsão para desocupação da sede do órgão, ocupada por agricultores familiares na madrugada de quarta-feira (17). 

As conversas desta quinta-feira (18) continuaram em torno da desocupação do prédio. O Incra não aceita negociar com os agricultores no imóvel, ao passo que a Fetraf se nega a deixar o local sem que haja uma sinalização do Incra de que as reivindicações serão atendidas. De acordo com o coordenador-geral da Fetraf, Francisco Lucena, o órgão propôs que os trabalhadores passassem a noite de hoje na garagem do prédio, liberando os demais andares, e, pela manhã, fossem para a Superintendência do Distrito Federal e Entorno, local considerado pouco estratégico para as pretensões do grupo. Proposta rejeitada pelos agricultores. 

Enquanto os agricultores continuam no prédio e tentam costurar um acordo com o Incra, a liminar que determina reintegração de permanece valendo. Na tentativa de expor os motivos da ocupação e evitar a cobrança da multa de R$ 5 mil por hora de descumprimento da ordem judicial, a Fetraf entregará na manhã desta sexta-feira (19) um ofício à juíza federal Substituta Maria Cândida de Almeida, responsável pela liminar.


Nenhum comentário