Representantes de 140 países assinam convenção para reduzir emissões de mercúrio

Economia







Representantes de 140 países assinam convenção para reduzir emissões de mercúrio

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-10-10/representantes-de-140-paises-assinam-convencao-para-reduzir-emissoes-de-mercurio

Oct 10th 2013, 13:27



Pedro Peduzzi*



Repórter da Agência Brasil

Brasília - Representantes de cerca de 140 países assinaram hoje (10) no Japão uma convenção sobre o uso e as emissões de mercúrio. A Convenção Minamata adotou esse nome em homenagem à cidade japonesa vítima do pior envenenamento já registrado pelo metal tóxico. O tratado foi assinado em reunião organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em Kumamoto, cidade localizada nas proximidades de Minamata.

O acordo, que já está aberto para ratificação dos Estados-Membros, pretende reduzir os níveis mundiais de emissões de mercúrio, bem como a produção e a utilização do metal, principalmente em processos industriais. Quanto for ratificado por 50 Estados, o tratado entra em vigor. A previsão, segundo os organizadores da conferência em que o documento foi assinado, é que isso deverá ocorrer em três ou quatro anos.

"É preciso que muitos países em desenvolvimento ratifiquem esse tratado para que entre em vigor o mais cedo possível", disse o ministro japonês do Ambiente, Nobuteru Ishihara.

O mercúrio é um metal pesado muito tóxico para os seres vivos. Uma exposição muito forte a ele enfraquece o sistema imunológico e pode causar problemas como perturbações psicológicas ou digestivas, perda de dentes, e problemas cardiovasculares ou respiratórios.

A convenção prevê que, em 2020, produtos com mercúrio, como os termômetros, tenham desaparecido, e dá prazo de 15 anos para que os Estados Unidos deixem de usar mercúrio nas atividades mineiras.

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Ambiente (Pnuma), a quantidade de mercúrio presente nos primeiros 100 metros de profundidade dos oceanos, provenientes das emissões ligadas à atividade, duplicou nos últimos 100 anos. A concentração nas águas mais profundas aumentou 25%.

*Com informações da Agência Lusa // Edição: Juliana Andade







You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com



If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:

http://blogtrottr.com/unsubscribe/pnn/jxDP92

Nenhum comentário