Folia não combina com dor no corpo, afirma especialista

Dra. Gislaine Milena Marton, fisioterapeuta e especialista em Pilates dá dicas de como curtir a folia sem dores.


Para muitas pessoas, essa é a época mais aguardada do ano. O Carnaval movimenta não só a economia, mas também as pessoas em sambódromos, atrás de trios elétricos e nos blocos. Só em São Paulo, segundo a Secretaria Municipal de Cultura, 15 milhões de pessoas devem ir às ruas. E para quem quer acompanha-los, pular, dançar e andar bastante durante os quatro dias do feriado, mas passando longe das dores ou, até mesmo contusões, saiba que é preciso preparar o corpo.

Para começar é importante lembrar que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda, pelo menos, 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada, cerca de 20 minutos por dia. Fazer isso deixa seu corpo disposto para aproveitar a festa. Mas, outros fatores também ajudam nessa missão, como o alongamento, por exemplo, que prepara o corpo para atividade, evitando contraturas musculares, inflamações e lesões.

Não demora muito mais do que 3 minutos e pode até ser encarado como o começo da folia, é só juntar o pessoal e concentrar na preparação. Além disso, é preciso se atentar as roupas e calçados. Fantasias pesadas prejudicam a coluna e a postura, assim como sapatos duros ou saltos, que ainda podem desenvolver problemas como a fascite plantar - um processo inflamatório que afeta a membrana de tecido fibroso e pouco elástico que recobre a musculatura da sola do pé, o que causa muita dor.

Ainda é necessário ter em mente que, mesmo sendo difícil se despedir da folia, respeitar o limite do corpo é essencial para evitar problemas musculares. Fazer pausas e descansar, garantem que o folião esteja "inteiro" na quarta-feira de cinzas. Colocar as pernas em um local elevado por uns instantes também ajuda na circulação do sangue e pode aliviar dores leves e desconfortos.

Ao seguir esses passos, aliados, é claro, à hidratação, seu Carnaval será repleto de saúde e muita diversão!


Matéria: ML&A
Imagem: Wikimedia Commons
 

Nenhum comentário