Portal New Spanish Book apresenta lista de títulos espanhóis que podem ser disponibilizados no mercado brasileiro

Especialistas brasileiros avaliaram as obras que estão no NSB BR 2021; portal está em diversos pontos da Europa, América e Ásia.
Mulher lendo livro.

Não existe mais limite territorial para literatura de qualidade. Com o mercado editorial cada vez mais promissor no Brasil, o Escritório Econômico e Comercial da Embaixada da Espanha em São Paulo, por meio do ICEX, Espanha Exportação e Investimentos, acaba de soltar sua lista com os títulos espanhóis cujos direitos autorais estão disponíveis para as editoras brasileiras. A lista pode ser vista no portal New Spanish Books.

A iniciativa espanhola não se limita apenas a oferecer títulos que podem ser publicados aqui. O Ministério da Cultura espanhol também oferece concessões para incentivar e promover o conhecimento no Brasil das obras que compõem o patrimônio cultural espanhol, financiando o custo da tradução para a língua portuguesa.

O Portal NSB 2021, em sua quinta edição brasileira, funciona como um guia, apresentando uma série de livros avaliados e resenhados por uma equipe de especialistas nacionais, que anualmente indicam os títulos a serem divulgados. Os curadores possuem diferentes perfis, mas todos são especialistas em literatura, Entre os nomes estão escritores, pesquisadores, professores, divulgadores, críticos, ou editores e as decisões são baseadas na experiência e conhecimento da indústria literária e do mercado brasileiro e debatidas em reuniões dos membros do painel.

Neste ano foram selecionados 20 títulos - um a mais do que na edição passada -, divididos por várias categorias. Na categoria Literatura, os escolhidos são 1980, de Juan Villà; El Evangelho Según María Magdalena, de Cristina Fallarás; Introducción a La Literatura Árabe Cristiana, de Pilar González Casado; La Ciencia en La Literatura - Un Viaje Por La Historia de La Ciencia Vista por Escritores de Todos Los Tiempos, de Xavier Duran; La Ternera, de Aurora Freijo Corbeira; Olivos de Cal, de Fran Toro.

Na lista de Ciências Sociais e Religião estão Chamanes, Ayahuasca Y Sanación, de Santiago López-Pavillard; Diccionario Cervantes, de Jean Canavaggio. Já os quadrinhos estão representados por El Niño Que, de Juan Berrio; El Violeta; de Sepúlveda, Juan, Cochet e Marina, Mercero e Antonio; Idiotizadas, de Moderna de Pueblo; Potemkin, de Pablo Auladell.

Há também a categoria infanto-juvenil com A Voltes La Mare Té Trons Al Cap, de Beatriz Taboada; Huesos, de Txabi Arnal; En el Bosque, de Ana Maria Matute e Elena Odriozola; Siete Llaves Para Abrir Los Sueños, de Alfredo Gómez Cerdá e Davi Pintor; ¿Por Qué Los Patos Vuelan En Forma De V?, de Pablo Caracol; Tú y Yo - El Cuento Más Bonito Del Mundo e Tú y Yo - Hermanos, ambos de Elisenda Roca. Por fim, na categoria ‘outras’, está Viajar y Contarlo. Estrategias Narrativas Del Escritor Viajero, de Juliana González-Rivera.

O Painel 2021 foi formado por: Antonio Esteves (Doutor em Letras pela USP, Livre-Docente em Literatura Comparada pela UNESP-Assis), Livia Deorsola (editora de livros centrada na literatura latinoamericana, publicadora e tradutora), Margarethe Santos (doutora em Literatura Espanhola pela USP, pesquisadora do contexto iberoamericano e escritora), Rodrigo Petronio (doutor em Literatura Comparada pela UERJ, autor, organizador e editor), Rafael Falasco (editor da Companhia das Letras, colaborador e professor) e Rita Mattar (editora da recém-fundada Fósforo). Além dos integrantes do painel, outros profissionais relacionados com o setor estiveram envolvidos no desenvolvimento do projeto.



Setor forte

Além de funcionar como uma vitrine para os novos títulos disponíveis para tradução, o site apresenta informações atualizadas sobre o cenário editorial espanhol, eventos literários e outras notícias sobre o setor.

De acordo com o Anuário de Estatísticas Culturais 2020, publicado pelo Ministério de Educação, Cultura e Esporte da Espanha, o setor de livros e imprensa representa 0,59% do Produto Interno Bruto (PIB) espanhol -- e 24.4% do PIB relacionado apenas ao setor de atividades culturais. Uma mostra de que, mesmo em uma conjuntura de crise e de forte transformação tecnológica, o setor editorial espanhol continua sólido, forte e com grande capacidade de adaptação.

Tanto que a Espanha figura como uma das principais potências editoriais no mundo, com 80.228 títulos lançados em 2018. Desse total, 97,4% são de primeira edição, apenas 2,6% se referem a reedições. De acordo com a Federação de Editores Europeus, o país é um dos principais mercados daquele continente, tanto em disponibilidade de títulos (está em quinto lugar, atrás de Reino Unido, Itália, Rússia e França).

No universo dos países que falam espanhol, a Espanha lidera, como demonstra o levantamento El livro em cifras, publicado pelo Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e Caribe (Cerlalc). De acordo com o estudo, o mercado espanhol registra diariamente 218 títulos. Já o conjunto da produção da América Latina fica em 541 títulos por dia -- o que representa uma média de 29 títulos por país.

Essa produção contribui para a propagação da língua espanhola. De acordo com o Instituto Cervantes, 7,8% da população mundial, ou 650 milhões de pessoas, falam espanhol. E esse percentual vem aumentando, ao contrário do que ocorre com outros idiomas como o inglês. De acordo com as projeções, em 2050 cerca de 754 milhões de pessoas falarão espanhol.



Matéria: Joribes e Ministério de Cultura Y Deporte de España
Imagem: Freepik (Creative Commons)


Nenhum comentário

As matérias apresentadas abaixo são fornecidas por DINO - Divulgador de Notícias.