Entenda o aumento contínuo do gás de cozinha nos últimos anos

Valor do GLP teve cinco variações de preço em 2019; quatro aumentos e um reajuste.


Atualmente, o constante aumento do preço do botijão do gás de cozinha é uma das grandes preocupações dos brasileiros. A última elevação do valor declarada pela Petrobras ocorreu em dezembro de 2019, com o aumento de 5% para venda nas refinarias. Os valores foram aumentados quatro vezes durante o último ano.

Segundo uma pesquisa divulgada pelo IBGE também em 2019, a variação de preços vem influenciando o modo como a população prepara seus alimentos. Mais de 3 milhões de brasileiros estão usando lenha ou carvão para cozinhar, invés do gás de cozinha.

Mas, para quem se esforça para utilizar o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo, o gás de cozinha), o aperto tem sido grande. A dona de casa Isabel Viana, de 75 anos, moradora da cidade de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, relata que em alguns meses chega a usar três botijões, pois cozinha para muitas pessoas. Ela desembolsa mais de 200 reais por mês com o produto.

“Como está cada dia mais caro, dividimos o valor entre todas as pessoas da família para que assim não fique tão pesado, mas é um dinheiro que poderia ser usado para comprar mais comida ou outras coisas ”.


Mas por que o preço vem aumentando tanto nos últimos tempos?

Desde 2016, o governo mudou a política de preços da Petrobras, adotando uma medida que deixa o mercado petroleiro com maior liberdade, assim, o preço dos produtos derivados do petróleo, como a gasolina, o diesel e o gás dependem também da variação de preços do mercado internacional. Desta forma, se o real desvaloriza em relação à cotação internacional, o valor do botijão de gás é diretamente afetado.

O preço do botijão de gás também pode variar dependendo da região do país onde mora o consumidor. Utilizando o aplicativo de comparação de preços de botijões de gás, o Chama, é possível verificar que na região da Barra Funda, em São Paulo, o custo médio do botijão de gás é entre R$74,98 e R$90. Já em Recife, no bairro Espinheiro, os valores estão entre R$70 e R$77. Em Belo Horizonte, o gás no bairro Dona Clara pode ser comprado entre R$65,99 e R$89. Na cidade de Florianópolis, no bairro Cachoeira do Bom Jesus, os valores variam entre R$89 e R$97.

“Com todas as oscilações de preços do gás nos últimos tempos e tantas diferenças de valores entre um revendedor e outro, é importante que as pessoas tenham acesso a uma ferramenta que permita comparar e economizar. Além disso ainda tem a questão da qualidade e segurança e no Chama todos os revendedores são regulamentados pela ANP” afirma a diretora geral do Chama, Sheynna Hakim Rossignol.


Matéria: Digital Trix
Imagem: José Rosael (Museu Paulista da USP)
 

Nenhum comentário