Trabalhadores do Grupo Paquetá protestam por atraso em pagamentos

Em recuperação judicial desde outubro de 2019, com dívidas superiores a R$ 600 milhões, tradicional grupo varejista e calçadista encontra dificuldades para realizar seus pagamentos.

Trabalhadores protestam pelo
não pagamento de salários.

O Grupo Paquetá, detentor das lojas Paquetá, Paquetá Esportes, Gaston, bem como das marcas de calçados Ortopé e Dumont, em recuperação judicial, está em atraso em seus pagamentos, devido a paralisação de suas atividades por causa da pandemia.

Com mais de 100 lojas, duas fábricas de calçados, e mais de 15.000 colaboradores, o Grupo que já enfrentava forte crise, em especial pela concorrência com calçados chineses, e alto endividamento contraído nos anos de crise econômica brasileira (entre 2013 e 2016), o Grupo Paquetá não está conseguindo reverter seus problemas financeiros, que culminaram em atraso de salários e não pagamento de rescisões de seus colaboradores, especialmente devido a falta de caixa ocasionada pela paralisação das atividades devido a pandemia



Assista o protesto que ocorreu hoje:


Compromisso com a verdade:

Em nota, diferente do que foi divulgado anteriormente, com informações obtidas de funcionários da empresa, advogados do Grupo Paquetá alegam que a empresa não teve sua falência decretada, e que segue buscando preservar as suas atividades, apesar de todo ocorrido.

O portal Ouni espera que o grupo realmente não feche as portas, e consiga se recuperar, preservando assim empregos, e pede desculpas por qualquer desgaste que a matéria anterior possa ter gerado.


Matéria: Dimithri Vargas
Imagem: Jonatham Magri
 

Nenhum comentário