Inep afirma que Enem poderá ser adiado

Presidente do instituto diz que irá dialogar com estados e Universidades Federais, especialmente no que tange a ampliação de vagas.


Alexandre Lopes, Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontou para a possibilidade de adiamento do Enem, em sua entrevista concedida em uma live. O gestor questionou: "o que podem fazer as universidades públicas para tentar ajudar o jovem da escola pública?". Para ele, seria necessário "revisar o quantitativo de vagas nas suas políticas de cotas. O Enem é a mesma prova para todos, mas existem outros mecanismos que podem tentar ajudar a reconhecer e superar essa desigualdade."

Lopes levantou questionamento sobre "o que os estados poderiam fazer nas suas redes estaduais de ensino, num eventual adiamento [do Enem], o que eles irão oferecer a mais, além da reposição de aula, que pode eventualmente ajudar esses alunos".

Sobre a digitalização do Enem, causa polêmica aponta este ano, Alexandre Lopes defende que "ao fazer uma prova digital, a gente consegue fazer várias provas ao longo do ano. Hoje o jovem só tem uma data pra fazer a prova, ele sabe que é em novembro. Não conseguiu? Tem que esperar novembro do ano que vem. O aluno vai chegar no futuro, entrar no computador e escolher quando ele quer fazer a prova e em qual cidade ele vai fazer a prova". O gestor avalia que, nesses moldes, "no futuro o Enem vai levar à informatização das escolas".

No que tange a definição de uma nova data para o Enem 2020, Alexandre afirmou: "eu preciso ter a data para publicar o edital e garantir que a prova vai ser feita. O Enem envolve uma operação muito grande. Por isso, preciso de uma data da prova que oriente todo o processo de sua elaboração". Ele finaliza afirmando que "quando estiver tudo pronto, a gente volta a discutir a data".


Matéria: Dimithri Vargas
Com informações de Evolucional
Imagem: Ministério da Educação.
 

Nenhum comentário