Passageiro é detido após fazer colaboradora da Gol refém no Aeroporto de Guarulhos

Visivelmente transtornado, o sujeito exigia a presença da Polícia Federal no local.
Um passageiro visivelmente transtornado foi preso ontem (11), por volta das 23 horas no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, após ter feito uma Comissária de Voo da companhia aérea Gol como refém, próximo ao portão 213.

O homem exigia a todo tempo a presença da Polícia Federal no local, alegando que só soltaria a colaboradora na presença da mesma. Ele usou uma caneta como elemento perfurocortante e ameaçava cravar a mesma na carótida da refém, caso algum dos passageiros tentassem intervir.

A todo tempo o passageiro, em seu momento de surto, pedia que o filmassem e mandassem o vídeo para emissoras de TV. Protestava pela morte do policial bahiano, ocorrida recentemente, e alegou que também estava correndo risco de vida.

A Comissária foi liberada sem ferimentos, após a chegada da Polícia Federal, e o homem foi preso, sem necessitar de contenção forçada.


Assista os vídeos do momento:






Nota da GRU Airport, administradora do Aeroporto de Guarulhos: "A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, informa que na noite de 11 de abril os órgãos responsáveis pela segurança do Aeroporto foram acionados para controlar um passageiro que, utilizando uma caneta, fez uma tripulante como refém em um dos portões de embarque do terminal 2. A ocorrência foi controlada em poucos minutos pela Polícia Federal, em total segurança e não houve feridos. O incidente não impactou as atividades e as operações do aeroporto. O passageiro foi encaminhado para delegacia e as causas da ocorrência estão sendo apuradas pelas autoridades competentes."

Nota da GOL Linhas Aéreas: A GOL está ciente do ocorrido no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport) hoje e informa que está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que não sofreu quaisquer ferimentos e encontra-se bem. A Polícia Federal está no comando das investigações e a Companhia está à disposição para prestar todo o suporte necessário. A ocorrência ficou restrita à sala de embarque do aeroporto e o envolvido no caso não era passageiro da GOL em nenhum dos seus trechos de origem ou destino."

Nota do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde da Polícia Militar do Paraná: "Sobre a situação envolvendo um policial militar do Paraná no final deste domingo (11/04) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde esclarece que: Não há registros funcionais anteriores de problemas envolvendo o policial militar em questão, o qual sempre foi considerado um excelente policial tanto por seu Comandante imediato, quanto por seus companheiros de serviço. O policial tem 36 anos, é solteiro, trabalha na Polícia Ambiental, está na corporação há sete anos e sua família está na Bahia, para onde ele deslocava na noite deste domingo. A Polícia Militar do Paraná está fazendo acompanhamento do policial e do caso, e durante seu ato no aeroporto, o policial falou com o comandante imediato, por vídeo-chamada, o qual conseguiu demove-lo da ação. Após isso, a funcionária da Companhia Aérea foi liberada sem ferimentos, e ele foi conduzido pela Polícia Federal para procedimentos necessários. Após a informação do caso, o Comando do Batalhão Ambiental determinou o deslocamento de uma equipe da unidade à São Paulo, nesta segunda-feira (12/04) para acompanhar a situação do policial, adotar medidas necessárias e tratar com a família dele sobre o que for preciso."


Atualização: a matéria foi atualizada com novas informações. Foi corrigida a informação de que se tratava de uma Agente de Aeroporto. Conforme apurado junto aos envolvidos, foi uma Comissária de Vôo que foi feita de refém.


Matéria: Letícia Aguiar
Imagens: Redes Sociais
  

Nenhum comentário

As matérias apresentadas abaixo são fornecidas por DINO - Divulgador de Notícias.