Como tendência de negócios, ramo imobiliário segue próspero em 2022

Pesquisa projeta um crescimento no ramo imobiliário superior a 30% nos financiamentos em 2021.


Para ter um negócio é necessário assumir a gestão administrativa, de comunicação e de relacionamento. O tempo de pandemia mostrou que para manter uma empresa ‘em pé’, remodelar as estruturas e as funcionalidades para os novos hábitos são essenciais, bem como manter um bom clima organizacional e o engajamento das equipes são fatores imprescindíveis. Com base nisso, muitos nichos do mercado se mantiveram fortes. Assim aconteceu com o mercado imobiliário brasileiro que se destacou como resiliente.

Com uma forte demanda dos brasileiros interessados pela casa própria, o segmento imobiliário apresentou um crescimento de 57,5%, que significou em R$ 124 bilhões liberados pelos bancos, em 2020. Já no primeiro trimestre de 2021, o volume de financiamentos imobiliários deu um salto de 113% em comparação aos três primeiros meses de 2020. Segundo a pesquisa da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), as operações chegaram ao valor recorde de R$ 43,1 bilhões, com 187,6 mil unidades vendidas.

“Um sonho ao novo imóvel” projetou um crescimento no ramo imobiliário superior a 30% nos financiamentos em 2021, conforme ainda a pesquisa citada. Por se tratar de um investimento sólido, as pessoas buscam uma construtora ou um ramo imobiliário confiável e seguro. E é a partir dessa concepção que empresas imobiliárias investem em seu pessoal para mostrar segurança aos seus clientes na hora das vendas.

A cada tempo o setor imobiliário se apresenta mais próspero pelo suporte de uma equipe qualificada e habilidosa. “Empresas que investem na tecnologia sai à frente da concorrência, mas empresas que investem também em seu pessoal, oferecendo prêmios/brindes, recompensas, treinamentos e ascensão de cargo, é uma empresa que preza por um propósito maior”, explicou Rodolfo Carvalho, CEO da Incentivar e especialista em Marketing há 10 anos.

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Gallup em 2020, com mais de 1,8 milhão de colaboradores, em 230 empresas e em 73 países, identificou que colaboradores engajados vendem 20% a mais e são 17% mais produtivos.



Matéria: Queissada
Imagem: Freepik

Nenhum comentário

As matérias apresentadas abaixo são fornecidas por DINO - Divulgador de Notícias.