Pedidos de recuperação judicial diminuem em 2022, aponta especialista

Fernando Brandariz destaca que ações do Governo Federal ajudaram na redução de pedidos e tendência deve se manter em 2023.


Segundo levantamento do Indicador de Falências e Recuperação Judicial da Serasa Experian, o primeiro semestre deste ano teve 390 pedidos de recuperação judicial, revelando uma queda de 14,1% em relação a esse mesmo período em 2021.

O Especialista em Direito Processual Civil e Direito Empresarial, Fernando Brandariz, entende que as negociações diretas devedores e credores contribuíram para a redução. “Muitas empresas estão conseguindo fazer acordos diretos com os seus credores, como os bancos, que aumentaram os prazos de pagamentos. Isso dá alívio no caixa e permite investimento no negócio”, diz o especialista.

Brandariz aponta que a melhora das empresas em relação ao ano passado contou com a intervenção do Governo Federal e suas medidas de apoio as empresas.

“O governo federal pagou uma parte dos salários dos funcionários, prorrogou o prazo para pagamento dos impostos, liberou linhas de créditos para pagar salários, editou Medida Provisória possibilitando a redução da jornada de trabalho”, atribui Brandariz.

Para 2023, o especialista aponta um cenário otimista: "A liberação dos auxílios pelo Governo Federal terá como consequência o consumo, por isso, é possível que não tenhamos um aumento de pedidos de Recuperação Judicial.", afirma Fernando Brandariz.



Matéria: Magda Oliveira (com informações de M2 Comunicação Jurídica)
Imagem: TV Justiça


Nenhum comentário

As matérias apresentadas abaixo são fornecidas por DINO - Divulgador de Notícias.