Varejo online: uma das possíveis maneiras de encurtar a distância de nossas mães no momento da pandemia

Comércio online pode ser uma ótima alternativa para as pessoas homenagearem suas mães durante a quarentena, analisa Gastão Mattos, da IDid.


No início de 2020, as expectativas para o varejo brasileiro eram positivas, com projeções de 5,3% de crescimento, em relação ao ano passado, que teve um total de 1,8% de aumento no volume de vendas, conforme aponta a Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC). Infelizmente, essas perspectivas caíram por terra com a pandemia do novo coronavírus. O mundo, literalmente, quase parou e o comércio - nacional e internacional - foi obrigado a fechar suas portas, porque o isolamento social era a única medida de prevenção à saúde.

A pandemia veio como um rolo compressor para os varejistas, causando inúmeros problemas para os lojistas, que necessitam manter suas rendas para pagar salários e aluguel dos estabelecimentos ou mesmo resolver questões como a gestão dos produtos. A Páscoa, por exemplo, teve uma queda de 33% das suas vendas neste ano.

Além do setor varejista, outros segmentos relevantes foram bastante afetados com a pandemia, como turismo, mercado imobiliário e entretenimento, e que a recuperação tende a demorar ainda mais para ser efetivada.

Em breve, estaremos diante de uma preocupação ainda maior para o varejo brasileiro, em função da proximidade da terceira principal data de vendas ao ano - o Dia das Mães. No teor de importância comercial, a data fica atrás apenas da Black Friday e Natal.

Com o isolamento proporcionado pela pandemia, fomos obrigados a deixar de visitar, abraçar e ver nossas mães e familiares, o que tornou uma situação muito triste. Diante de uma data tão relevante que é o Dia das Mães, comprar e entregar uma singela lembrança é um momento muito especial para muitas famílias e que, agora, está perigoso. Sem esquecer que, por questões diversas, muitas famílias vivem separadas de suas mães e a data é mais uma oportunidade de união e celebração, que neste ano, infelizmente não deve acontecer da mesma maneira.

Diante dessa situação de afastamento obrigatório, talvez a melhor alternativa para manter a homenagem com alguma lembrança às mães seja por meio das compras online.

Por isso, que nos dias de hoje o hábito de "filhos e filhas" em não comprarem pela Internet teve que mudar. Tanto que desde o início da quarentena no país, muitas lojas de departamento brasileiras registraram um aumento no cadastro de novos clientes online de aproximadamente 30%.

Na visão dos lojistas, a expectativa para o Dia das mães não será diferente em relação os presentes serem comprados pela Internet. A esperança tem como base 2019, em que as vendas online faturaram aproximadamente R$ 3,3 bilhões na data, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm).

As datas comemorativas geram um ciclo de procura e compra com muita antecedência, gerando um crescimento de visitantes às lojas virtuais de varejo. O recente levantamento da Social Miner, empresa em dados de comportamento e consumo do varejo brasileiro online, mostrou à medida em que o Dia do Consumidor se aproximava, 15 de março, 49,6% do público que tinha intenção de compra, buscou as ofertas de 15 a 7 dias antes, sendo que o maior pico foi nos dez dias antecedentes.

Em destaque, a importância do Dia das Mães para o varejo cria boas expectativas sobre alguns produtos, como eletrodomésticos, perfumes, flores e chocolates, que ficaram estagnados, devido à pandemia. A data pode ser considerada um respiro para esses nichos do varejo, que ficaram em segundo plano no comércio virtual comparados aos produtos existenciais.

Vale lembrar que, no início de 2020, havia uma projeção para o mercado (volume de vendas online) no Brasil de R$ 120 bilhões. Entretanto, a expectativa não levava em consideração a crise epidêmica mundial, o que torna difícil prever agora quanto poderá ser esse crescimento.

Com a mudança de comportamento na maneira de consumir em função da pandemia, é fundamental que as lojas de todos os segmentos desenvolvam sua presença online, assim como os consumidores percam o medo de utilizar a Internet para suas compras.

A dor da distância pode ser grande, mas o e-commerce, hoje, é a opção mais possível de demonstrarmos nosso afeto às mães na data que se aproxima. Isso porque, o distanciamento nos dias de atuais é mais uma prova de preocupação e amor que temos por elas.


Matéria: PitchCom
Imagem: Divulgação

Nenhum comentário